De onde vêm os idiomas?


Notícias 28 - 10 de junho de 2011

Você já se perguntou por que os povos do mundo falam diferentes idiomas?

Muitas das vezes que essa pergunta é feita, nos deparamos com a história da Torre de Babel e a explicação da ciência. Vamos conhecer um pouco sobre cada uma antes de prosseguirmos?

A Torre de Babel

Segundo o Antigo Testamento (Gênesis 11,1-9), a Torre de Babel foi construída na Babilônia, após dilúvio. O povo dessa terra havia decidido construir uma cidade e uma torre que chegasse aos céus, para mostrar seu poder e exaltar seus nomes. Essa soberba foi uma rebeldia à ordem que Deus havia dado para que se espalhassem e habitassem toda a Terra. Deus decidiu então confundir sua língua para separá-los.

Encontramos diferentes interpretações sobre
esse episódio. Algumas das versões encontradas:

* Se voltarmos um pouco e avaliarmos com mais atenção os capítulos 10 e 11 de Gênesis, veremos que antes mesmo da Torre de Babel, os povos já possuíam idiomas diferentes e que essa passagem bíblica onde ocorre a confusão pode se referir ao idioma de apenas uma região do mundo, a própria terra de Babel. Nesse caso, a língua dos outros povos teria sido gerada por evolução.

* Em algumas traduções encontramos a palavra
“linguagem”, o que pode trazer um outro significado para a história. Até mesmo a palavra “língua” tem amplas interpretações e ambas podem se referir à forma de pensar, ao comportamento e não ao idioma propriamente dito. Esse é outro caso que leva à conclusão de evolução.

* Há historiadores e teólogos que defendam que o capítulo 11 pode ter sido escrito antes do capítulo 10.

* Outros que dizem que a diversidade das línguas veio mesmo na confusão da Torre e que antes toda a Terra falava a mesma linguagem.

Embora os estudiosos não tenham chegado a uma conclusão única sobre a Torre de Babel, é fato que a Bíblia tem comprovações históricas e é uma fonte inesgotável de conhecimento.

A Ciência

A ciência que estuda a linguagem verbal é a “Linguística”. Através de teorias e comparações entre escritos antigos e estruturação dos idiomas, os linguistas estudam os fenômenos de evolução da língua e suas origens. Para essa ciência, a forma como o povo utiliza a linguagem e como lida com ela é mais importante que a norma padrão, aprendida na escola.

Outros especialistas também se dedicam a pesquisar e discutir sobre o assunto, dentre eles poetas, teólogos, filósofos, filólogos, psicólogos, arqueólogos, antropologistas, biólogos e neurologistas. Existem universidades e até revistas especializadas na área.

Atualmente muitos estudos são feitos para se reconstituir a história das línguas. Embora existam alguns pesquisadores que defendam o contrário, a grande maioria das teses aponta para uma língua universal que, exposta a alguns fatores, originou todas as outras. Vejamos então o resultado.

Os Idiomas e a Evolução

Pois bem, então de onde os idiomas vieram?

Se seguirmos esse raciocínio, tanto algumas interpretações da bíblia quanto a ciência dão os mesmos vestígios: os idiomas surgiram de evoluções linguísticas.

A evolução linguística ocorre porque, embora possua uma estrutura própria, uma língua precisa atender às necessidades da comunidade falante e acaba sofrendo alterações à medida que é utilizada.

Por exemplo, se pessoas que falam uma mesma língua forem separadas para lugares diferentes, essa língua poderá sofrer tantas alterações que depois de vários anos se tornarão línguas diferentes.

Podemos concluir então que as línguas sofrem modificações de acordo com o tempo e o espaço. E que, além de serem alteradas, podem gerar novos idiomas.


Leia também:
Alterações na língua
Neologismos e a Linguagem de Internet
Linguagem de Internet prejudica o aprendizado?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem-vindo!
Comente, opine, se expresse! Esse espaço é seu!

Postar um comentário